sábado, 15 de setembro de 2012

Vamos focar nas bençãos!

Um ponto preto

Certo professor entrou na sala de aula e propôs uma prova surpresa. Todos ficaram assustados. O professor, como de costume, entregou a prova virada para baixo. Quando puderam ver, para surpresa de todos, não havia uma só pergunta. Havia apenas um ponto preto no meio da folha.


O professor, analisando a expressão surpresa de todos, disse: "Agora vocês vão escrever um texto sobre o que estão vendo." Os alunos, confusos, começaram a difícil tarefa.


Terminado o tempo, o professor recolheu as folhas. Colocou-se em frente à turma e começou a ler as redações em voz alta. Todas, sem exceção, concentraram-se no ponto preto, tentando dar explicações plausíveis, para sua presença no centro da folha. Após ler todas, a sala em silêncio, ele disse: "Esse teste não será para nota, apenas serve de lição".


Ninguém falou sobre a folha em branco. Todos centralizaram suas atenções no ponto preto. Assim acontece em nossas vidas. Temos uma folha em branco inteira para observar, aproveitar. Mas, sempre nos centralizamos nos pontos pretos.


A vida é um presente de DEUS, dado a cada um de nós com extremo carinho e cuidado. Temos motivos para comemorar sempre. A natureza que se renova. Os amigos que se fazem presentes. O emprego que nos dá sustento. Os milagres que diariamente presenciamos. No entanto, insistimos em olhar apenas para o ponto preto. O problema de saúde que nos preocupa. A falta de dinheiro. O relacionamento difícil com um familiar. A decepção com as pessoas. Os pontos pretos, no entanto, são mínimos diante de tudo aquilo o que recebemos diariamente de bem e de bom. Mas, são eles, os insistentes pontos pretos, que povoam nossa mente.


É preciso tirar os olhos dos pontos pretos, só assim será possível enxergar a imensidão de coisas boas, de luz, de amor e bençãos que estão espalhadas ao seu redor.  
(autor desconhecido)

sábado, 11 de agosto de 2012

sábado, 30 de junho de 2012

Madre Tereza de Calcutá


 

"A oração torna nossos corações transparentes, e só um coração transparente pode escutar a Deus."

 Madre Tereza de Calcutá

terça-feira, 10 de abril de 2012


Que a Páscoa aconteça em nossos corações todos os dias do ano.

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Todos querem...

"Todos querem o perfume das flores, mas poucos sujam as suas mãos para cultivá-las." 

Augusto Cury

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

As sacolinhas do supermercado


Os supermercados de São Paulo, a partir do dia 25/01/2012, não mais fornecem sacolinhas plásticas aos seus clientes, como medida para diminuir a poluição
O assunto não sai mais dos jornais, telejornais, rodas de conversas. Todos acham um absurdo terem que levar uma sacola de pano quando forem fazer suas compras! (Temos todo direito de poluir, já que todos poluem!)
E-mails sobre os supermercados terem apenas a intenção de ganhar dinheiro com isto, já que cobrarão pelas sacolinhas 'ecológicas', que poluem menos, chegam à minha caixa de mensagens.
Será que os fabricantes das sacolinhas não estão perdendo bastante, também? Acho que foram eles que encheram a internet com estas mensagens, porque não é possivel que as pessoas não queiram apoiar esta medida, e exigir mais outras tantas, para melhorar a própria qualidade de vida!
Os problemas de descontrole com a temperatura do planeta, as 'novas' doenças, as pragas na lavoura, excesso de pesticidas... sabe que estão faltando insetos polinizadores?
Está tudo uma bagunça, e as pessoas estão fazendo questão da droga das sacolinhas, como se não pudessem mais viver sem elas!???
Em minha casa já utilizamos as sacolas retornáveis há mais de um ano, e ninguém morreu, nem teve crise de abstinência!
Lutem para que outras atitudes sejam tomadas, o mais breve possivel!
Porque tudo tem que ser um cavalo de batalha? Credo! Que má vontade!

Ah, sim, já ia me esquecendo... com tanta reclamação, os supermercados talvez tenham que fornecer 'de graça' a sacolinha biodegradável. Claro que o preço estará embutido nas mercadorias, e eu, que levo minhas sacolas de pano, vou pagar também!

Sandra Aguiar

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012